As Cores da Ministra

Postado em - 5 de janeiro de 2019 - 5:10 - Sem Comentários

As cores da ministra

A metáfora utilizada pela ministra Damares Alves, contra a “repugnante” ideologia de gênero, agiu como um verdadeiro “purgante” no estômago daqueles que acham que as crianças nascem assexuadas e, somente adolescentes é que devem decidir se serão machos ou fêmeas. O reboliço estomacal não poderia ser diferente naqueles que, há anos, veem descolorindo os tons masculinos e femininos. Nada contra quem pensa e age assim, mas, tudo contra quem não aceita “aquela velha opinião formada” sobre a natureza das coisas e dos homens. Meninos e meninas, tenham muita calma, nessa hora. O ano está apenas começando…

Tração reduzida

Com a reforma administrativa, o governador Belivaldo Chagas irá fazer modificações no seu secretariado, evidentemente. Um determinado secretário continuará na equipe, mas, não com a mesma força “herculana” de antes. A sua força reduzida é inversamente contrária aos princípios da engenharia, ou seja, “igual em sentido, mas, contrária em magnitude”.

O banco dos réis

A venda de ações do BANESE a bancos particulares não passa de um empréstimo com garantia do tesouro estadual. A operação deverá ser feita junto ao BRADESCO ou ITAÚ. Lá na frente, as ações do BANESE podem estar (muito provável) desvalorizadas e o nosso Tesouro não tenha como garantir a quitação da operação. Se isto ocorrer, o “nosso” banco será vendido, sabe-se lá por quanto. A previsão é de um conhecido operador do sistema financeiro.

Beco sem saída

Com um déficit de R$ 500 milhões, não há outro caminho. A venda de parte do BANESE e da DESO são as alternativas encontradas pela equipe econômica do Governo do Estado que, dessa forma, busca encontrar uma boia de salvação para escapar do naufrágio provocado por administrações anteriores.

Tá de rosca

Tá demorando demais a inauguração do Mercado de Peixe de Aracaju. A obra de engenharia já foi concluída, há muito tempo, mas, alguns equipamentos que serão adquiridos pela contrapartida do Estado não foram fisgados, ainda. É possível que até a Semana Santa, com fé em São Pedro Pescador, tudo esteja OK.

Lembre-se de mim

Alguns vereadores da base aliada do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) não se sentem tão prestigiados como desejam ser. Reclamam, à boca miúda, do pouco contato com o chefe do executivo para tratar dos chamados assuntos pontuais. Ou seja, tá faltando aquela conversa de pé de ouvido. Ouviu, Edvaldo?

Desculpa esfarrapada

Os órgãos de trânsito (SMTT e CPTran), responsáveis pela circulação dos veículos em direção à Atalaia, durante o réveillon, acertaram na ida mas, se perderam, totalmente, na volta. Se a ida foi tranquila, o retorno foi um inferno. A desculpa de que todos resolveram voltar no mesmo horário não tem o menor sentido. Se os corredores estivessem livres, não haveria nenhum problema. Faltou planejamento. Reconheçam.

Peixes fora d´água

O Partido Social Cristão (PSC), o partido dos peixinhos, perderá alguns filiados, ainda no primeiro semestre. Sem os mandatos produtivos do senador Amorim e do deputado federal André Moura, muitos sairão do “aquário” para não morrer asfixiados. Gilson Andrade, prefeito de Estância já está nadando, rumo ao PSD, de Belivaldo Chagas.

De olho no terno

O deputado estadual Jeferson Andrade (PSD) está de olho num terno de fio escocês que poderá usar no dia da posse como presidente da Assembleia. Com a situação de Luciano Bispo (MDB) cada vez mais complicada, o jovem parlamentar tem todas as chances de mudar de assento, na Mesa Diretora. O cavalo está selado, em uma fazenda em Nossa Senhora de Lourdes.

A Lei da Responsa

Invocando a Lei de Responsabilidade Fiscal, o prefeito de Carmópolis, Beto Caju (SD) iniciou o ano passando a régua em todos os ocupantes de Cargo em Comissão. Alguns serão renomeados de acordo com a necessidade de cada secretaria, dentro do critério da nova administração.

 

Deixe seu comentário!

Para: As Cores da Ministra


Siga-nos!